Um refeitório ao pé de uma barragem? onde já se viu isso, gente?

Uma das observações de familiares de desaparecidos e moradores da região de Brumadinho (MG) é sobre a localização das estações de trabalho da Mina do Córrego do Feijão, da Vale. Enquanto na barragem da Samarco, em Mariana, essas estruturas eram situadas acima dos milhões de metros cúbicos de lama, em Brumadinho os trabalhadores, centenas desaparecidos, realizavam suas tarefas bem abaixo do perigo.

“O escritório administrativo, o refeitório, a oficina, o laboratório, o almoxarifado e todas as demais estações de trabalho estavam bem abaixo da barragem. E foram, todas elas, engolidas pela lama em segundos após o rompimento, não dando possibilidade de fuga a quase ninguém”, escreve o jornalista José Antônio Bicalho, do site O Beltranoum dos primeiros a chegar ao local devastado.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

Comentários