Pressionado, Bolsonaro avalia mais dois nomes para a Educação:Ricardo Rodrigues e Guilherm Schel

Da redação com informações da Fórum

A divulgação do nome do assessor de Viviane Senna e diretor do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves Ramos, para a pasta do Ministério da Educação, foi logo bombardeada pela bancada evangélica que agiu rápido e "vetou" o nome de Ramos, considerado como muito "moderado" para a pasta.

Com isso, Jair Bolsonaro novamente recuou e deve anunciar u

Na entrevista coletiva de última hora que concedeu hoje, Jair Bolsonaro disse  ainda que o procurador Guilherme Schel, integrante da Associação Nacional de Juristas Evangélicos (sim, existe uma), está cotado para assumir o ministério da Educação. Outro nome é colombiano para o cargo: Ricardo Vélez Rodriguez que estará essa manhã com o presidente eleito.

"Quem ensina sexo para criança é papai e mamãe. Escola é para aprender física, matemática e química. Vou conversar hoje com o senhor Guilherme Schelb. É um ministério importantíssimo, como outros. Aí que está o futuro do Brasil. Se for ver aí os últimos dez, quinze anos, dobrou o gasto da educação, e a qualidade diminuiu. O Brasil não pode ir à frente com a educação dessa maneira", disse Bolsonaro na rápida entrevista.

A informação do convite a Mozart foi dada com exclusividade em todo o Brasil pelo nosso site. À tarde todos os grandes veículos da imprensa tinham antecipado a informação que nosso site deu logo cedo. O site apurou que Mozart já está em Brasília para um encontro à sós com o presidente eleito.

Depois de mais um início de crise, Rodriguez foi chamado rapidamente de Juiz de Fora, Minas Gerais, onde coordena o Centro de Pesquisas Estratégicas da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), para conversar com Bolsonaro ainda nesta quarta-feira (21). O nome do colombiano já aparecia entre os cogitados para a pasta.

O possível escolhido é colombiano, coordenador do Centro de Pesquisas Estratégicas da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e também coordenou o Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos, o Núcleo Tocqueville-Aron de Estudos sobre as Democracias Contemporâneas e o Núcleo de Cosmologia e Filosofia da Ciência.

Rodriguez é, também, professor associado aposentado da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professor emérito da Escola de Comando e Estado Maior do Exército (ECEME). Já trabalhou na Universidade Estadual de Londrina (UEL) e na Universidad Pontificia Bolivariana, na Colômbia.

É membro do conselho consultivo da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa), do Instituto de Geografia e História Militar, Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e da Academia Brasileira de Filosofia. Autor de “Da Guerra à Pacificação”, “O Patrimonialismo Brasileiro em Foco” e “A Grande Mentira – Lula e o Patrimonialismo Petista”. O professor também é mestre e doutor em Filosofia.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

Comentários