Presidente e ex-presidente da Compesa são condenados por irregularidades no Pirapama

Da Redação do Blog*

O Presidente da Compesa, Roberto Cavalcanti, um ex-presidente da companhia, João Bosco Almeida, e a diretora de Engenharia e Meio Ambiente da empresa, Ana Maria de Araújo Torres Pontes, foram condenados por improbidade administrativa. A decisão é do Juiz Federal Rodrigo Vasconcelos Coelho de Araújo, da 35ª Vara Federal no Cabo de Santo Agostinho.

Segundo a Justiça, as irregularidades ocorreram na contratação do Consórcio formado pelas construtoras Queiroz Galvão, OAS e Odebrecht para a implantação do Sistema Pirapama, em que ocorreu um superfaturamento de R$ 89 milhões.

Os três acusados foram condenados ao ressarcimento dos danos causados - no total de R$ 89.518.124, 36, em caráter solidário com os demais réus. Ana Maria e Roberto também terão que pagar uma multa civil de vinte e cinco vezes a remuneração recebida nos cargos em que ocupam, além da perda dos direitos políticos por cinco anos. Já João Bosco deve pagar multa civil de cinquenta vezes o salário que recebia como presidente da Compesa, e terá os direitos políticos suspensos por oito anos.

Além das penalidades recebidas pelos representantes da companhia, as três construtoras envolvidas foram condenadas a ressarcir os danos causados e ao pagamento de uma multa de R$ 15 milhões cada. As empresas ficam, também, proibidas de receber incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de cinco anos.

 

*Com informações do Blog Noelia Brito.

Mais informações:

Presidente e ex-presidente da COMPESA condenados por improbidade e à devolução de R$ 89 milhões por superfaturamento nas obras de Pirapama junto com Odebrecht, OAS e Queiroz Galvão. Delatores revelaram propina de 3% para o PSB na obra de Pirapama - Blog Noelia Brito

 

Comentários