Opinião: Nada será como antes na política brasileira depois da eleição, diz Estadão

Por Marcelo de Moraes

Nada será como antes na política brasileira depois da eleição. Seja quem for o vencedor, algumas constatações são claras. A primeira: há um forte eleitorado conservador. A segunda: a esquerda ainda tem força, mas enfrenta muita dificuldade para se organizar sem um catalizador como Lula.

Terceiro ponto: as redes sociais assumiram um protagonismo inegável e são capazes de alavancar uma candidatura, como foi o caso de Jair Bolsonaro. Mas trouxeram como efeito colateral todo o dano das fake news. Quarto: o eleitor ainda está irritado com os políticos tradicionais. Quinto: os partidos precisam ter mensagens claras.

Bolsonaro simbolizou o não aos políticos tradicionais, o combate à insegurança e vestiu a camisa do antipetismo. Fernando Haddad vendeu a volta “dos bons tempos de emprego pleno e ascensão social de Lula”. Ciro Gomes ofereceu crédito a quem quebrou. Quem não se comunicou, ficou pelo caminho.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

Comentários