EXCLUSIVO: Funcionários afastados da Ancine faziam reuniões secretas em loja maçonica no Rio

Por Ricardo Antunes

Nessa história toda que envolveu o afastamento pela justiça do presidente da Ancine, Christian de Castro, um fato causou estranheza. Três dos funcionários afastados usam uma Loja Maçônica para se encontrar. São eles: Marcus Tavolari, Magno Maranhão e Juliano Alves Vianna.

O mais inusitado é o nome da Loja: Vigilantes da Lei. Filiada a Grande Loja Maçônica do Estado do Rio de Janeiro, que funciona toda segunda feira na Rua Mariz e Barros, no tradicional bairro carioca da Tijuca.

Além dos três, também é membro da Vigilantes da Lei o Superintendente de Fiscalização da Ancine, Eduardo Carneiro. Todos aparecem nesta foto.

A Polícia Federal investiga se eles utilizavam da Maçonaria para promover encontros secretos, longe das vistas e da vigilância da lei. Vamos aguardar.

O blog tentou mas até agora não conseguiu contato, com os citados na reportagem.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários