Perfil anônimo no Twitter denuncia suposto estupro no Recife e vira caso de Polícia

Com informações do Portal OP9

Um perfil anônimo criado no Twitter para acusar um adolescente de 15 anos de classe média alta do Recife de cometer um estupro virou caso de polícia e potencializou a discussão sobre como lidar com informações disseminadas nas redes sociais.

Na primeira sequência de posts, publicada na manhã desta quarta-feira (28), a suposta vítima relata que foi violentada no mês de junho pelo estudante depois de uma festa. O caso extrapolou a internet e repercutiu de forma meteórica na cidade, além de colocar em xeque a atuação do delegado responsável pela investigação.

As mensagens sugerem que a vítima seria uma adolescente, filha de um advogado, que estava bêbada e deitada no quarto de uma amiga. O relato aponta que o estudante teria trancado a porta e cometido o crime sem que ela tivesse forças para reagir. “Então, galera, no mês de junho eu fui estuprada por um garoto aqui de Recife que eu vou expor para todos saberem a pessoa que esse lixo é e todo sofrimento que estou passando a muito tempo. Ainda tentei empurrar ele várias vezes quando ele estava em cima de mim, mas eu estava sem forças e sem reação porque estava bêbada. Só me lembro que quando acordei estava sangrando muito”, desabafou.

Nas postagens seguintes, o perfil expõe, em tom de acusação, fotos e o nome do estudante. A autora dos tweets diz estar deprimida e confessa que pensou em cometer suicídio após o crime. “Mãe e pai eu amo muito vocês. Vocês fizeram tudo que podia e continuem fazendo até acabar com a vida desse monstro. Pfvr ensinem meu irmãozinho a ser um homem digno e a NUNCA forçar nada contra a vontade de uma mulher. Sei que ele é pequeno mas ensinem isso a ele todos os dias. Minhas amigas e amigos me perdoem por favor, eu tentei o máximo mas não consigo mais. Não sofram por minha causa, eu apenas estou procurando a paz que eu não tenho a meses. Me entendam! Eu amo muito vocês”.

Denúncia de estupro via Twitter. Foto: Twitter/Reprodução

Em poucas horas, a página reuniu mais de 9 mil seguidores entre rede de apoio à vítima e também de acusação, mas nenhuma prova foi postada e a autora das mensagens não se identificou. Enquanto a repercussão crescia na capital pernambucana, o estudante procurou a polícia para se defender e o que era grave acabou ganhando contornos inusitados.

Delegado participa de live no Instagram do estudante e será investigado pela Corregedoria

Assustados com a repercussão do caso, os pais e o garoto alvo dos posts anônimos compareceram na tarde desta quarta-feira à Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, no Recife. Ainda usando a farda do colégio, o adolescente conversou sobre as acusações com delegado Eronides Meneses e os dois decidiram fazer uma transmissão ao vivo pelo Instagram através da conta pessoal do estudante para realizar a defesa.

Em um vídeo de pouco mais de 13 minutos, o delegado apresenta o caso e pede para a população não acreditar em qualquer “boato” que é falado nas redes sociais. “Por favor, parem de falar essas mentiras. Parem de ficar espalhando isso”, assegura. De acordo com Eronides Meneses, uma “verificação preliminar” classificou o caso como uma “mentira”. “A gente está esperando só a resposta do Twitter para poder ir atrás da pessoa. Não depende de nós. Fizemos a solicitação, o Twitter impôs uma dificuldade, formalizamos um ofício, ligamos para eles e aí vou ligar novamente para o Twitter para saber a localização e o proprietário”, adiantou.

Durante o vídeo, diversas vezes o policial chega a tecer comentários a respeito da quantidade de pessoas que assiste a live. “Encerrou?”, alguém pergunta. “Nada, ainda tem mais de três mil pessoas. Vou falar de novo”, comenta Meneses. Além de deixar clara a inocência do adolescente, o delegado ainda divulga o próprio perfil na rede social durante a transmissão e é pautado pela família. “Fala aí que estava viajando”, dizem. “Conforme está explicado aqui pelo pai, eles estavam viajando. Estavam onde? Estavam na Europa. Nesta época ele nem estava no Brasil. Eles vão me mostrar aqui as passagens. Inclusive, como o pai está falando aqui, no próprio Instagram dá para ver que ele estava viajando na época”, detalha Eronides.

Logo após participar da live na rede social do estudante, o delegado fez uma transmissão ao vivo no seu perfil pessoal e reforçou a inocência do rapaz antes da conclusão da investigação. “Delegado, como investigar um boato sem ao menos ser investigado?”, questionaram os internautas. Não houve resposta.

Procurado pela equipe de reportagem, o delegado não quis conversar com a imprensa. As transmissões ao vivo foram deletadas das contas e, em seguida, o investigador colocou as postagens em seu perfil no Instagram no modo privado. Através de nota oficial, a Polícia Civil de Pernambuco informou que ele será investigado pela Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social.

Confira a nota divulgada na íntegra

A Polícia Civil de Pernambuco informa que o delegado de Crimes Cibernéticos, Eronides Meneses, foi procurado, nesta quarta-feira (28), por um rapaz acompanhado pelos pais na sede da Delegacia, no bairro da Boa Vista. Na ocasião foi relatado existir um perfil no Twitter que acusa um menor de estupro e diz ainda que cometeria suicídio.

A partir das informações coletadas, foi aberta uma investigação policial para apurar todas as circunstâncias.

Em relação ao pronunciamento do delegado em uma rede social, a Corregedoria Geral da SDS informa que analisará os fatos em toda sua extensão.

“Sou virgem”, defende estudante, que vira meme na internet
Denúncia de estupro via Twitter. Foto: Twitter/Reprodução

O pai do estudante, que é um empresário de Goiás e possui empreendimentos imobiliários no litoral de Alagoas, também aparece na transmissão ao vivo gravada dentro da delegacia. “O moleque é de ouro”, elogia. O comentário passou despercebido, pois o que chamou a atenção dos internautas foi o argumento de defesa do próprio adolescente. “Não sei nem quem é. A conta foi criada hoje. Vocês estão acreditando numa coisa que não existe. Quem me conhece sabe que eu não sou disso. Sou virgem”.

Rapidamente, o comentário virou mote de memes e até mesmo de stickers de WhatsApp. Além da delegacia, o caso foi parar nos trending topics do Twitter Brasil com as menções “delegado” e o nome do adolescente. “É incrível como estuprador sempre arruma as desculpas mais esfarrapadas do mundo para algo injustificável”, rebateu uma internauta. “Quem diria que você ficaria famoso por ser o virgem de Taubaté?”, indagou a autora da denúncia também pela rede social.

Embora os posts não especifiquem a data do suposto crime, a família argumentou ao delegado que, no mês junho, ele acompanhava o pai em uma viagem pela Europa. “Está no próprio perfil do Instagram que ele estava viajando na época”, reforçou o delegado. No entanto, no próprio perfil do rapaz também consta uma foto do dia 16 junho, na qual o adolescente aparece em uma praia identificada no próprio post como São Miguel dos Milagres, em Alagoas.

*Por se tratar de adolescentes, a identificação dos envolvidos foi preservada

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários