Acre decreta situação de emergência por causa das queimadas

Por Leandro Prazeres do O Globo

BRASÍLIA - O governador do Acre, Gladson Cameli (PP), decretou nesta sexta-feira situação de emergência no estado em função do aumento das queimadas. O decreto também criou uma “Sala de Situação” junto ao gabinete do governador para acompanhar o que foi classificado pelo estado como um “desastre”.

O Acre é um dos estados mais atingidos pelo aumento das queimadas em todo o Brasil neste ano. Entre janeiro e agosto deste ano, o Acre registrou um aumento de 197% no número de queimadas em relação ao mesmo período do ano passado.

A fumaça das queimadas vem atingindo algumas das principais cidades do estado, entre elas a capital, Rio Branco.

O estado de emergência decretado pelo Acre acontece um dia depois de o governo federal começar a procurar os estados da região amazônica para articular uma ação conjunta de combate ao desmatamento e às queimadas.

Desde ontem, emissários do governo federal vêm procurando os governadores da região em busca de apoio para uma eventual atuação das Forças Armadas no combate aos incêndios.

Apesar de cientistas relacionarem o aumento das queimadas ao aumento do desmatamento na região, o decreto assinado por Gladson Cameli não menciona o desmatamento como uma das causas do aumento nas taxas de incêndios florestais.

Para o governo, a principal causa do crescimento no número de queimadas é a “escassez de chuvas” e a redução do nível dos rios. A posição do governo chama atenção por conta de recentes declarações feitas por Cameli.

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, Cameli discursou a proprietários rurais no município de Sena Madureira em maio e pediu que eles não pagassem multas aplicadas pelo órgão estadual de proteção ambiental.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários