Juiz deu permissão para que músico pudesse se apresentar em cruzeiro marítimo

Por André Beltrão da Redação do Blog

O juiz Evanildo Coelho de Araújo Filho, da Vara dos Crimes Contra a Administração Pública e a Ordem Tributária da Capital, deferiu autorização para que José Pinteiro da Costa Junior, conhecido como DJ Jopin, participe do evento “WS on Board”, o cruzeiro do Wesley Safadão. A festa será realizada entre os dias 23 e 26 de novembro. O magistrado é o responsável pelo processo que investiga a associação do DJ a uma quadrilha que teria sonegado cerca de R$ 65 milhões em impostos.

Com a autorização do juiz os passaportes foram devolvidos e ele poderá se apresentar no cruzeiro do Safadão. O músico deixou a prisão há 48 dias, após um habeas corpus, e estava cumprindo uma medida cautelar que o impedia de sair do país. Além do show no 'WS on Board', o DJ também vai fazer uma apresentação no dia 30 de agosto, aqui no Recife, em uma festa do selo We Do batizada de ‘We Club’.

Ademar Rigueira advogado de José Pinteiro Junior, o DJ Jopin

“Nós requeremos uma autorização ao Juiz, porque como ele (DJ Jopin) tinha que sair para o show, que a rigor vai acontecer num navio, e por isso estaria em águas internacionais, então é como se ele estivesse saindo do país”, explica o advogado de defesa, Ademar Rigueira.“Por isso nós pedimos a devolução dos passaportes. Então houve sim uma autorização judicial para ele fazer esse show no navio”, pontua Ademar.

O advogado de José Pinteiro da Costa Junior ainda explicou que a empresa a qual seu cliente era sócio, a We Do, não fazia parte do esquema, e que os fatos serão esclarecidos na Justiça. “A questão da vinculação da We Do, é que há uma citação da empresa na denúncia, mas isso vai ser esclarecido ainda porque não há nenhuma transferência dessa empresa para as contas de Pinteiro e vice e versa. É uma empresa exclusivamente voltada para realização de shows e não se provou nenhuma vinculação com as contas pessoais das outras empresas envolvidas nesse fato” diz Ademar.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários