João Doria enfrenta Bolsonaro ao filiar Alexandre Frota ao PSDB

Por Tales Faria colunista do UOL

Está prevista a participação do governador João Doria hoje no anúncio da filiação do deputado Alexandre Frota ao PSDB.

O governador atuou pessoalmente para atrair Frota para seu partido, depois que o deputado foi expulso do PSL de Bolsonaro.

Alexandre Frota foi obrigado a sair depois que passou a criticar atitudes do presidente. Especialmente a indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

Irritado, Jair Bolsonaro cobrou do presidente do PSL, Luciano Bivar, que o deputado fosse expulso da sigla. Desde então ele e Frota passaram de velhos amigos a inimigos figadais.

Bolsonaro, que fez campanha junto a Frota em 2018 e chegou a declarar que poderia indicá-lo ministro, passou a dizer que nem o conhece. Em entrevista à Folha, o deputado chamou o presidente simplesmente de "idiota".

Por outro lado, não é segredo para ninguém que João Doria sonha em concorrer ao Planalto em 2022. Assim como o presidente da República dá todos os sinais de que pretende se candidatar à reeleição.

Ou seja, os dois, disputarão os votos no campo da centro-direita. E o deputado-celebridade é um reforço significativo para Doria nessa corrida.

Em política é assim: seu verdadeiro adversário não é o inimigo declarado, mas aquele que tenta tomar votos na sua área. Daí porque nos últimos tempos Doria e Bolsonaro têm trocado farpas.

A notícia da escolha pelo PSDB não pegou Bolsonaro de surpresa. Mas o presidente esperava que o anúncio da recepção a um deputado inimigo e em plena guerra com o Planalto fosse feito mais tarde.

Foi interpretado como um recado do governador de que está pronto para disputar espaço com Bolsonaro: quem quiser romper com o governo federal, terá as portas abertas no Palácio dos Bandeirantes.

É provável que tanto Doria como Bolsonaro tentem disfarçar publicamente por agora. Afinal, 2022 não está tão próximo assim. Mas daqui até as eleições os apupos entre os dois tendem a aumentar de frequência e intensidade.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários