Presidente diz que não se pode prender policial por uso irregular de algemas

Por Daniel Gullino do O Globo

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta sexta-feira a punição à utilização irregular de algemas , prevista no projeto de combate ao abuso de autoridade aprovado na Câmara dos Deputados . A proposta foi enviada a Bolsonaro, que terá que sancioná-la ou vetá-la. Fazendo a ressalva de que ainda não leu o texto, o presidente afirmou que não concorda com a ideia de punir o crime com prisão.

— No primeiro momento, o policial militar, se é que isso está lá, não sei se isso está lá, se o cara vier a algemar alguém de forma irregular, tem uma cadeia para isso. Isso não pode existir. O resto a gente vai ver, vamos analisar — disse Bolsonaro, ao sair do Palácio da Alvorada.

O projeto prevê que submeter preso ao uso de algemas quando estiver claro que não há resistência à prisão pode levar a uma pena de seis meses a dois anos de detenção. A detenção pode ser cumprida nos regimes semiaberto ou aberto. Bolsonaro disse que ainda não teve tempo de ler o texto, e que muitas pessoas estão criticando o projeto sem ter lido.

— Analisei nada, não. Não deu tempo de ver. Estou ouvindo falar muita coisa. Até botei algumas perguntas no Facebook. "Veta, veta, veta". Eu pergunto: "Você já leu o projeto?". Ninguém leu. Se tem coisa boa, se tem coisa ruim, não sei — afirmou.

O presidente disse que vai "apanhar de qualquer maneira", vetando ou sancionado o texto:

— Vetando ou sancionado, ou vetando parcialmente, o tempo todo eu vou levar pancada. Não tem como. Vou apanhar de qualquer maneira.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários