Bolsonaro cobrou expulsão de Frota para calar críticas à indicação do filho

Por Tales Faria colunista do UOL

O presidente Jair Bolsonaro articulou pessoalmente a expulsão do deputado Alexandre Frota do PSL, decidida ontem pela Executiva Nacional do partido.

Os desentendimentos de Frota dentro do diretório do partido em São Paulo, com a deputada Carla Zambelli e o senador Major Olímpio, pouco importavam para o presidente.

O presidente não aceitou as críticas de Alexandre Frota à indicação de seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para embaixador do Brasil nos EUA.

Bolsonaro cobrou do presidente do partido, deputado Luciano Bivar (PE), que arregimentasse votos para que a expulsão servisse como um exemplo de que a indicação deve ser tratada como questão fechada no PSL.

De início, Bivar colocou panos quentes, tentou evitar a expulsão. Mas, diante da determinação do presidente, acabou trabalhando pelo resultado.

O presidente disse aos articuladores políticos do governo que considera "prioridade absoluta" a aprovação da indicação de Eduardo Bolsonaro pelo Senado.

Frota disse ao blog que ainda não decidiu a qual partido se filiará. Ele tem convites do PSDB, do DEM, do PRB e do Podemos.

O deputado afasta a hipótese, ventilada na Câmara, de transferir seu título para o Rio de Janeiro a fim de disputar a Prefeitura pelo DEM. Diz que sua família está instalada em São Paulo e não mudará a residência.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários