Argentinos sem paciência para atual política

Da Redação do Blog

A paciência dos argentinos se esgotou, tanto com o atual presidente Mauricio Macri, quanto com a ex-presidente e agora senadora Cristina Kirchner. Isso é o que demonstra um argentino que deu entrevista ao vivo para o canal “Comunicación Popular”. De acordo com o cidadão, Julio Rodriguez, as privatizações e o descaso com o povo está tornando o país ‘inviável”. Na declaração repleta de desabafos, o senhor de 67 anos afirma “Quando eu fizer 70 anos vou matar um corrupto e pedir prisão domiciliar”. As declarações são como um termômetro da situação política às vésperas das eleições, que ocorrem no dia 27 de outubro.

Ainda segundo Julio, a situação política na argentina é “delinquencial” e as privatizações propostas pelo atual presidente tem afundado o país. Macri, é um político, empresário, executivo, diretor esportivo e engenheiro civil, e concorre a reeleição neste ano. O presidente tem se posicionado a favor dos governos que compactuam com os mesmos valores da plena democracia, do livre mercado e das liberdades individuais que o Brasil tanto lutou para resgatar nas últimas eleições. Ele já declarou, por diversas vezes, o desejo de que a esquerda não retorne ao domínio da América do Sul, assim como já declarou o presidente brasileiro Jair Messias Bolsonaro.

Nesse contexto, outra semelhança aproxima o Brasil da Argentina: a polarização política. A população argentina está dividida entre o atual governo, que desperdiçou sua maior peça de campanha, que era a economia, e agora amarga a alta do dólar. Contra o outro lado, apoiado pela ex-presidente Cristina Kirchiner, que governou o país 2007 e 2015. Na oposição a chapa é encabeçada por Alberto Fernandez, que tem como vice a ex-presidente Cristina Kirchner, atualmente ocupando o cargo de senadora.

Veja abaixo o vídeo:

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários