Dólar supera R$ 4, após derrota de Macri em prévia das eleições argentinas

Com informações da Reuters e do O Globo

SÃO PAULO - O dólar bateu a marca de R$ 4 nesta segunda-feira, em meio à disputa comercial entre Estados Unidos e China e às perspectivas de que o presidente argentino, Mauricio Macri, não conseguirá se reeleger nas eleições de outubro. Às 10h08m, a moeda americana avançava 1,53%, a R$ 4,002.

Na sexta-feira, o dólar encerrou em alta de 0,39%, a R$ 3,942 reais. Foi a quarta semana consecutiva de alta.

O Ibovespa, pincipal índice da Bolsa paulista, iniciou a semana com forte queda, também influenciado pelo cenário internacional turbulento. Às 10h15m, caía 1,95%, a 101.967,54 pontos.

Eleitores argentinos rejeitaram com ênfase as políticas econômicas austeras de Macri nas eleições primárias de domingo, colocando em grande dificuldade suas chances de reeleição em outubro, segundo resultados iniciais.

A coalizão que apoia o candidato de oposição Alberto Fernández — cuja companheira de chapa é a ex-presidente Cristina Kirchner— liderava com 47,3% dos votos, uma vantagem de 15 pontos percentuais, com 88% das urnas apuradas.

Investidores veem Fernández como uma perspectiva mais arriscada do que o pró-mercado Macri devido às políticas intervencionistas prévias da oposição.

- Já era aguardado. Não é uma surpresa essa derrota do Macri nas primárias. Agora precisamos entender se o percentual ficou muito além do que era esperado - disse a economista da CM Capital Markets, Camila Abdelmalack, acrescentando que isso poderá implicar em revisões às projeções de crescimento das principais economias do mundo.

No panorama doméstico, investidores seguem acompanhando a tramitação da reforma da Previdência no Senado. Na sexta-feira, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que a reforma será aprovada pelo Senado e que eventuais alterações que possam ocorrer na proposta serão viabilizadas por meio de uma chamada Proposta de Emenda à Constituição (PEC) paralela.

Na manhã desta segunda-feira, o Banco Central divulgou que o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de prévia do PIB, retraiu 0,13% no segundo trimestre de 2019 em relação aos três primeiros meses do ano, o que indica uma 'recessão técnica'.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 11 mil contratos de swap cambial tradicional, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento outubro de 2019.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários