Bretas cita 'confusão patrimonial' ao determinar buscas contra Olin e Thor, filhos de Eike Batista

Por Bernardo Mello do O Globo

RIO - Além de decidir pela prisão temporária de Eike Batista , nesta quinta-feira, o juiz titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio,Marcelo Bretas , determinou operações de busca e apreensão contra o empresário e seus filhos,Thor e Olin Batista . Agentes da Polícia Federal foram às ruas na manhã desta quinta para cumprir os mandados, em uma fase da Lava-Jato denominada "Segredo de Midas" , que investiga manipulação do mercado de capitais por parte de Eike e de seu contador Luiz Arthur Andrade Correia.

A acusação do Ministério Público Federal (MPF) argumenta que Eike e Luiz Arthur, conhecido como Zartha , utilizaram empresas fantasmas para "manipular o mercado de ativos mobiliários" a fim de gerar receitas para o pagamento de propinas ao ex-governador Sergio Cabral . Eike já havia sido preso, em janeiro de 2017, por corrupção ativa e lavagem de dinheiro vinculada ao esquema comandado por Cabral.

Atualmente, o empresário cumpria prisão domiciliar em sua residência, no Jardim Botânico, um dos endereços onde os agentes da PF realizam busca e apreensão nesta quinta.

De acordo com a decisão de Bretas, Eike "transferiu parte relevante de seu patrimônio" a seus filhos, Olin e Thor, "muito provavelmente com a finalidade de se furtar ao cumprimento das obrigações legais junto aos seus credores". Ao determinar a busca e apreensão em endereços ligados aos filhos do empresário, Bretas citou uma "aparente sucessão e/ou confusão patrimonial" envolvendo Eike e seus filhos.

"(...) com a finalidade de garantir efetivamente a reparação dos danos causados pelos crimes cometidos por Eike Batista, e diante de aparente sucessão e/ou confusão patrimonial, é necessário que o bloqueio cautelar de bens e valores atinja o patrimônio dos seus filhos Olin e Thor, tendo em vista que tal patrimônio se constituiu substancialmente por doações e transferências de valores e ativos de seu pai, durante e logo após da prática dos crimes ora investigados", diz a decisão.

Delação de banqueiro

Thor Batista, primogênito de Eike, de 27 anos, esteve recentemente na China, de acordo com a coluna de Ancelmo Gois , em tratativas com o banco ICBC, considerado o maior do mundo. No início deste ano, Thor foi alvo de um bloqueio de R$ 778 milhões pela Justiça de Minas Gerais, como medida para pagamento de dívidas da MMX, antiga empresa de mineração do conglomerado de Eike.

Olin Batista, de 23 anos, segundo filho de Eike com a atriz Luma de Oliveira, segue atualmente carreira de DJ.

A operação "Segredo de Midas" - cujo nome faz alusão à mitologia grega na qual o rei Midas transformava em ouro tudo o que tocava - se baseia na delação premiada do banqueiro Eduardo Plass , dono do TAG Bank/Panamá e presidente da gestora de recursos Opus Investimento.

Plass é acusado pelos investigadores de ter usado seu banco em repasses de grandes somas de dinheiro ilegal - mais de R$ 90 milhões envolvendo a H.Stern, dos quais R$ 6 milhões ligados ao ex-governador Sérgio Cabral.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários