PF pede prisão preventiva dos quatro suspeitos de ataques hacker

Por Aguirre Talento do O Globo

BRASÍLIA — A Policia Federal pediu nesta quinta-feira a prisão preventiva dos quatro alvos da Operação Spoofing, Walter Delgatti Neto , Gustavo Henrique , Suelen Oliveira e Danilo Marques , suspeitos de realizarem ataques ao Telegram de autoridades públicas. O argumento é de que, caso sejam colocados em liberdade, eles poderiam apresentar risco para as investigações.

Os quatro haviam sido presos temporariamente na terça-feira da semana passada, depois que a PF conseguiu rastrear os endereços eletrônicos, conhecidos como IP, de onde se originaram os ataques ao Telegram do ministro da Justiça Sergio Moro. A prisão temporária termina à meia-noite desta quinta-feira.

O pedido está na 10ª Vara da Justiça Federal do DF para decisão ainda nesta terça-feira. Isso porque, caso não houvesse decisão até meia-noite, eles teriam que ser soltos.

A PF ainda está analisando o conteúdo dos celulares e aparelhos eletrônicos deles, que foram apreendidos na operação. Também aguarda a chegada de informações sobre movimentações financeiras, tanto das contas bancárias como de operadoras de criptomoedas. A suspeita ainda não descartada é que eles possam ter recebido pagamentos.

O caso, que estava sendo tocado pelo juiz Vallisney de Oliveira, agora ficará com o juiz substituto da 10ª Vara, Ricardo Leite. Por sorteio, a relatoria caiu com o juiz Ricardo, mas Vallisney estava despachando no processo durante as férias do colega. Será o novo magistrado que decidirá sobre as prisões.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários