Bolsonaro 'despreza limites do bom senso por sua incontinência verbal', diz FHC

Por Rayanderson Guerra do O Globo

RIO — O ex-presidente Fernando Henrique criticou nesta quarta-feira as recentes declarações do atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro . Nas redes sociais, o tucano afirmou que o presidente "despreza os limites do bom senso por sua incontinência verbal".

Fernando Henrique disse ainda que as declarações de Bolsonaro sobre a morte de Fernado Santo Cruz, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, "contraria documentos oficiais" e "dá vazão a rompantes autoritários".

Ao comentar as investigações sobre seu agressor Adélio Bispo de Oliveira, Bolsonaro disse que Fernando Santa Cruz, desaparecido durante a ditadura militar, fazia parte do grupo "mais sanguinário" do movimento Ação Popular. Bolsonaro questionou a ação da OAB durante o processo para apurar o atentado sofrido em Juiz de Fora (MG), no ano passado, e afirmou que se o presidente da entidade quiser saber sobre a "verdadeira história" do que aconteceu com seu pai, ele pode contar o que ocorreu.

O ataque de Bolsonaro ao presidente da OAB foi considerado estúpido e desnecessário por parlamentares no Congresso . Após o presidente da República questionar as circunstâncias do assassinato do pai de Santa Cruz, quando este tinha apenas dois anos de idade, deputados da oposição e até mesmo base aliada do governo saíram em defesa de Santa Cruz e criticaram Bolsonaro pelo que consideraram ser um “excesso”. As declarações do presidente também não foram bem recebidas pelos deputados do centrão.

A OAB reagiu às declarações de Bolsonaro, tachando-as de "excessivas e de frivolidade extrema". Em nota, a entidade destacou que todas as autoridades do país, inclusive o presidente, devem respeito à Constituição, o que inclui "o direito ao respeito da memória dos mortos".

Em outra nota, do próprio presidente da OAB, Felipe Santa Cruz se disse um "orgulhoso filho" de Fernando e agradeceu as manifestações de solidariedade que está recebendo "em razão das inqualificáveis declarações do presidente Jair Bolsonaro". Segundo ele, o que incomoda Bolsonaro é a defesa que a entidade faz "da advocacia, dos direitos humanos, do meio ambiente, das minorias e de outros temas da cidadania".

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários