Suplente do senador Jarbas Vasconcelos (MDB) pede R$ 20 mil ao blog. Era pulha. Hackers invadiram todo mundo. Confira

Por Ricardo Antunes

O mundo acabou e eles estão entre nós. No dia em que todo mundo discute a prisão e a confissão dos "hackers" que invadiram até mesmo o celular do presidente Jair Bolsonaro, o blog sentiu de perto do que eles são capazes.

Foi hoje á tarde, conforme você pode ver nos prints.

Fernando Antonio Caminha Dueire foi o "todo poderoso" secretário de Infra-Estrutura dos dois últimos governos do atual senador Jarbas Vasconcelos (MDB).

Um dos poucos que não foram substituídos durante os oito anos de "reinado" de Jarbas, Fernando Dueire é um exímio articulador e um gestor competente. Nossa relação vem do Metrorec quando, por indicação do então senador José Jorge de Vasconcelos (probo e correto), fui coordenar a Gerência de Comunicação da CBTU.

Fácil de trabalhar e viciado no "fazer bem feito", Dueire imprimiu um ritmo diferente no Metrorec, e pouco depois foi chamado por Jarbas Vasconcelos para compor sua equipe como um dos seu principais auxilares. No período do metrô nossa amizade cresceu e coube a Fernando e Tereza (sua esposa), serem "padrinhos" do meu único filho, João Pedro, hoje com 20 anos, que mora em Brasília.

Eram quase 16hs quando recebi sua mensagem pelo aplicativo Telegram. Fernando raramente fala por zap, e faz tempo que não conversamos, mas o termo como ele me chamou me deu a certeza de que era o próprio: "Ricardinho".

"Mande as ordens, cumpadre", respondi, para depois perceber que seu Telegram havia sido invadido. O suposto "Dueire" me perguntava coisas que nunca havíamos falado como conta no Banco do Brasil. E se eu poderia fazer uma transferência de R$ 20 mil reais.

Eu, claro, prossegui com a conversa e me lembrei do golpe já fartamente divulgado na mídia.

Mesmo dizendo que só tinha conta no Itaú, o criminoso não se fez de rogado, Em um minuto me mandou uma do mesmo banco com os dados de outra pessoa.

Tentei "ganhar tempo" e disse que poderia depositar somente á noite. O meliante não ficou saciado e que na maior cara de pau me disse: "Teria que ser agora".

Veja a sequência dos prints:

O fone de Dueire estou preservando mas é rigorosamente o mesmo.

De pronto liguei para ele lhe informado do ocorrido. Ele já estava mandando mensagens para os "amigos" que estão em sua lista.

Em resumo: Cuidado, mas muito cuidado mesmo.

Eles estão em toda parte.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários