Policiais são qualificados para fazerem abordagens às pessoas com deficiência

Com informações da Assessoria de Imprensa

Para promover a inclusão social e estimular práticas adequadas nos procedimentos policiais às pessoas com deficiência, a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), por meio da Superintendência de Apoio à Pessoa com Deficiência (Sead), reuniu comandantes e instrutores da Polícia Militar e Civil em uma capacitação sobre convivência e atendimento às pessoas com deficiência.

A qualificação pontuou as terminologias adequadas e inadequadas, os tipos de deficiências e formas de tratamento, além de ensinar palavras e expressões da Língua Brasileira de Sinais (Libras) que são usualmente utilizadas em abordagens policiais.

O superintendente da Sead, Edimilson Silva, pontuou que momentos como este são fundamentais para levar conhecimento e ajudar a quebrar paradigmas no intuito de propiciar uma sociedade mais igualitária. “A Sead desenvolve um papel de incentivar a aproximação com às pessoas com deficiência, eliminando as barreiras que foram criadas, seja de comportamento ou de comunicação”, afirmou.

Durante discurso, o gerente de Capacitação da Secretaria de Defesa Social (SDS), coronel Fernando Correia, ressaltou a importância de aprofundar o conhecimento e desenvolver as ações que permitam repassar as informações para todas as esferas da Polícia. “É necessário que as informações estejam consolidadas, por exemplo, em formato de cartilha para que mais policiais tenham acesso ao assunto e aumentem a qualidade das operações”, pontuou.

Para o chefe da Unidade de Ensino de Academias Integradas da Defesa Social, Major Benôni, a capacitação vai ajudar os comandantes e instrutores a gerar um pensamento crítico em suas tropas e em novos policiais que estão em treinamento e formação. “Existem várias peculiaridades e características na abordagem às pessoas com deficiência e a partir das próximas práticas pedagógicas acreditamos que todos esses instrutores que participaram da sensibilização poderão criar novas modalidades de exercícios e treinamentos para que os novos policiais vivenciem todas as possibilidades de abordagem”, destacou.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários