Secretário de Comunicação do governo avalia trocar agências por EBC

Com informações de O Globo

BRASÍLIA - Sob o comando do novo ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, pretende reestruturar a Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Ele encomendou um levantamento para se aprofundar sobre a produção de conteúdo e a estrutura da empresa. A ideia, segundo interlocutores de Wajngarten, é fazer com que a EBC consiga ser financeiramente sustentável e também possa passar por uma otimização na produção de suas produções.

Um dos planos do chefe da Secom é fazer com que a EBC busque novos clientes nos estados e municípios. Especialista da área de publicidade no meio televisivo, Wajngarten disse a aliados ter identificado um mercado subaproveitado na divulgação de editais e informações oficiais dos governos estaduais. O objetivo é usar a estrutura existente para divulgações governamentais, já que a empresa não pode fechar contratos com a iniciativa privada.

Com os dados da EBC em mãos, o secretário avalia fazer mudanças pontuais em cargos de direção. Wajngarten pretende contratar especialistas com foco em capitalizar recursos nessas áreas. Outra modificação em estudo está na criação de conteúdo. Sem as agências Isobar e TV1, que produziam matérias e vídeos para as redes sociais do governo federal, Wajngarten analisa a possibilidade de aproveitar parte dos 1,9 mil funcionários da empresa para esse tipo de serviço.

Conselho

A Secom mantém um contrato de R$ 54 milhões com a EBC, que está em fase de renovação. Esse valor permite que a empresa faça a cobertura oficial em eventos do presidente da República, do vice, e de ministros. Os novos moldes do novo contrato ainda não foram definidos. Há expectativa de que seja mantida a cobertura de eventos oficiais da Presidência e Esplanada, mas que sejam agregados serviços como produções de vídeos, antes feitos pela TV1.

Com a saída do general Carlos Alberto dos Santos Cruz da Secretaria de Governo, Fabio Wajngarten começou a participar mais ativamente das ações da EBC, onde assistiu a apresentações na semana passada. Já esta semana, o secretário recebeu diretores da empresa em seu gabinete no Palácio do Planalto. Antes, o ex-ministro Santos Cruz insistia em controlar o orçamento da Secom e a fazer indicações na EBC. Santos Cruz, inclusive, comprou briga ao deixar de nomear Wajngarten para a presidência do Conselho da empresa, cargo historicamente ocupado por secretários de comunicação.

No Planalto, há esperança de que o novo ministro da Secretaria de Governo se dedique à articulação política — que saiu das mãos do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e deixe a comunicação sob os cuidados de Wajngarten. Com isso, a expectativa é a de que o secretário assuma a presidência do Conselho da EBC, ocupado atualmente pelo coronel Nilson Kazumi Nodiri. Outras indicações de Santos Cruz na EBC também podem ser revistas pelo novo ministro.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários