MPF apura suposta prática de censura pelo YouTube

Com informações do Poder360

O MPF (Ministério Público Federal) abriu nesta 5ª feira (27.jun.2019) 1 procedimento preparatório para apurar suposta prática de censura por parte do YouTube. O objetivo é investigar se há pratica ilícita por motivos raciais, religiosos e de gênero pela plataforma de vídeos.

O órgão pediu ao YouTube que disponibilize em até 15 dias informações sobre os motivos de remoção ou indisponibilidade de vídeos e canais na plataforma. O MPF quer entender os critérios utilizados pelo serviço e saber se o dono do conteúdo é comunicado previamente sobre a exclusão. O YouTube deve informar ainda quantos vídeos, em média, são banidos por mês no Brasil da plataforma.

Responsável pela ação, o procurador da República Ailton Benedito disse que as normas constitucionais e legais que regulam a internet no Brasil obrigam os serviços a atuarem de acordo com o direito de liberdade de expressão.

Benedito disse que os provedores devem dar o direito de acesso de todos à informação e ao conhecimento, permitir a participação na vida cultural e na condução dos assuntos públicos, além de impedir a prática de censura e a discriminação de qualquer tipo.

Criado em 2005, o YouTube é uma plataforma de compartilhamento de vídeos, com sede na Califórnia, Estados Unidos. Pertence a gigante de tecnologia norte-americana Google.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários