Petrolina tem o São João mais caro do país. Cachês dos artistas estão superfaturados diz oposição

Com informações da Assessoria de Imprensa

Porque Petrolina tem o São João mais caro do Nordeste Brasileiro? Começamos pontuando que, entre os grandes eventos que abrangem praticamente todo o mês de junho, Petrolina não aparece. De acordo com o Ministério do Turismo, estão as festas nas cidades de Caruaru (PE), Campina Grande (PB) e Mossoró (RN).

Vereador Paulo Valgueiro (MDB-PE) líder da oposição em Petrolina

No entanto, os cachês artísticos de Petrolina aparecem no topo do ranking. A diferença entre Petrolina, Caruaru e Santa Cruz, por exemplo, é astronômica. Ao contrário da capital do Agreste a cidade terceiriza a festa mas não divulga os termos da licitação;Cachês que vão de R$ 5 mil a 500 mil. Artistas locais e que mantém a cultura nordestina com o autêntico forró chegaram a desistir de se apresentar por causa do valor ofertado, enquanto isso, grandes artistas do mercado fonográfico, mesmo cantando outro gênero musical, fazem questão de se apresentar no São João de Petrolina. Porquê?

Foram R$ 6.489.000 (seis milhões, quatrocentos e oitenta e nove mil reais) dispensados para a realização da edição 2019, no Pátio Ana das Carrancas. Destes, apenas 2 % destinados as atrações regionais, 32% para as atrações Jorge e Matheus (R$ 490 mil), Wesley Safadão (R$ 430 mil), Gusttavo Lima (R$ 400 mil), Ivete Sangalo (R$ 400 mil) e Henrique e Juliano (R$ 390 mil) que aparecem no top 5 da lista dos artistas mais caros do São João de Petrolina, somadas deu um custo de R$ 2.110.000. O restante rateado entre as outras atrações da festa.

Em Caruaru, festa tradicionalmente conhecida no mundo, o cachê de Wesley Safadão, por exemplo, foi de R$ 280 mil, já em Petrolina foi cobrado quase o dobro. Xand Aviões cobrou um cachê de R$ 300 em Petrolina, já em Caruaru recebeu R$ 260 mil; Marília Mendonça arrematou um cachê em Petrolina de R$ 380 mil, já em Caruaru R$ 300 mil; Elba Ramalho R$ 190 mil em Petrolina e R$ 175 mil na capital mundial do Forró, aí segue por Dorgival Dantas – R$ 90 mil em Petrolina e R$ 80 mil em Petrolina; Bruno e Marrone – R$ 270 mil em Petrolina e R$ 220 mil em Petrolina. Alok cobrou R$ 230 mil para tocar na festa de São João, mas em Petrolina esse show custou R$ 250 mil. Como diz o ditado popular: “de grão em grão a galinha enche o papo”.

Alguns artistas regionais estão na programação do São João de Petrolina. Ao contrário do que se esperava um São João com a manutenção da cultura nordestina, poucos foram valorizados, e não só no valor dos cachês, mas foram prejudicados também na grande da programação, alguns não chegaram a um público de mil pessoas, como foi registrado durante suas apresentações.

Entre os regionais Maciel Melo, cantor petrolinense, é o único que se destaca entre os artistas com cachês um pouco mais altos: R$ 60 mil. Raimundinho do Acordeon – R$ 6.500; Trio Grannah – R$ 5.500 Adãozinho de Rajada – R$ 5 mil; Andréa Vitória – R$ 5 mil; Fabiana Santiago – R$ 5 mil; Gervilson Duarte – R$ 5 mil. Alguns artistas locais nem subiram no palco.

Confira a lista completa dos cachês do São João de Petrolina (por ordem dos mais caros)

Jorge e Matheus – R$ 490 mil Wesley Safadão – R$ 430 mil Gusttavo Lima – R$ 400 mil Ivete Sangalo – R$ 400 mil Henrique e Juliano – R$ 390 mil Marília Mendonça – R$ 380 mil Xande Aviões – R$ 300 mil Zé Neto e Cristiano – R$ 300 mil Zezé Di Camargo & Luciano – R$ 275 mil Bruno e Marrone – R$ 270 mil Luan Santana – R$ 260 mil Alok – R$ 250 mil Bell Marques – R$ 250 mil Matheus e Kauan – R$ 250 mil Elba Ramalho e Geraldo Azevedo – R$ 190 mil Michel Teló – R$ 180 mil César Menotti e Fabiano – R$ 165 mil Mano Walter – R$ 135 mil Gustavo Mioto – R$ 130 mil Márcia Fellipe – R$ 115 mil Jonas Esticado – R$ 100 mil Saia Rodada – R$ 100 mil Dorgival Dantas – R$ 90 mil Jorge de Altinho – R$ 80 mil Banda Magníficos – R$ 80 mil Avinne Vinny – R$ 70 mil Cavaleiros do Forró – R$ 70 mil Devinho Novaes – R$ 70 mil Maciel Mello – R$ 60 mil Wallas Arraes – R$ 60 mil Solteirões do Forró – R$ 40 mil Vitor Fernandes – R$ 30 mil Guilherme Dantas – R$ 20 mil Elisson Castro – R$ 17 mil Wawa Pinho – R$ 10 mil Raimundinho do Acordeon – R$ 6.500 Trio Grannah – R$ 5.500 Adãozinho de Rajada – R$5 mil Andréa Vitória – R$ 5 mil Fabiana Santiago – R$ 5 mil Gervilson Duarte – R$ 5 mil

Em Caruaru, a Fundação de Cultura e Turismo publicou no Diário Oficial do município os extratos de contratos das atrações que fazem parte da grade da programação do São João 2019. Os cachês mais altos com R$ 300 mil são da cantora Marília Mendonça e da dupla Zé Neto e Cristiano

Confira a lista divulgada dos cachês em Caruaru:

Zé Neto e Cristiano – R$ 300 mil Marília Mendonça – R$ 300 mil Xand Avião – R$ 260 mil Alok – R$ 230 mil Bruno e Marrone – R$ 220 mil Bell Marques – R$ 220 mil Elba Ramalho – R$ 175 mil Mano Walter – R$ 160 mil Alceu Valença – R$ 120 mil Saia Rodada – R$ 100 mil Alcymar Monteiro – R$ 100 mil Jonas Esticado – R$ 100 mil Avine Vinny – R$ 80 mil Dorgival Dantas – R$ 80 mil Tayrone – R$ 75 mil Fulô de Mandacaru – R$ 70 mil Santanna – R$ 65 mil Mastruz com Leite – R$ 65 mil Cavaleiros do Forró – R$ 60 mil Batista Lima – R$ 60 mil Maestro Mozart e a Orquestra de Pífanos de Caruaru – R$ 60 mil Petrúcio Amorim – R$ 50 mil Luan Estilizado – R$ 50 mil Os Bianos – R$ 35 mil Forró Vumbora – R$ 30 mil Irah Caldeira – R$ 25 mil

Cachês de alguns artistas que também vão tocar em Santa Cruz de Capibaribe:

O Diário Oficial do Estado de Pernambuco (DOEPE) divulgou os cachês de algumas atrações que se apresentarão no Palco da Moda, o principal do São João de Santa Cruz.

Entres as grandes atrações, os maiores cachês são do cantor Wesley Safadão com R$ 280 mil e Gusttavo Lima pelo valor de R$ 250 mil.

Confira a lista dos artistas e cachês:

Wesley Safadão: R$ 280 mil

Gusttavo Lima: R$ 250 mil

DJ Alok: R$ 220 mil

Leonardo: R$ 180 mil

Márcia Felippe: R$ 110 mil

Solteirões do Forró: R$ 75 mil

Jorge de Altinho: R$ 55 mil

Amigos Sertanejos: R$ 30 mil

Renno: R$ 25 mil

Forró dos Bossas: R$ 20 mil

O líder da Bancada de Oposição, vereador Paulo Valgueiro, frisa que não há justificativa para o valor dos cachês saltarem num número tão astronômico, sem contar com os altos preços das taxas cobradas na festa, como estacionamento, bebidas, alimentos, cobranças indevidas aos barraqueiros, ambulantes e até os garçons tiveram que pagar para trabalhar. “Solicitei da Casa Plínio Amorim a licitação, mas os vereadores tentando blindar o prefeito negaram meu requerimento, mas vamos analisar o processo licitatório e verificar ponto a ponto.

O prefeito pode até não ter feito nenhuma falcatrua, mas no momento em que os vereadores de sua bancada tentaram blindar o Governo, levantou suspeitas. Porque não quiseram dar informações sobre o São João de Petrolina 2019? Os vereadores do prefeito tentaram acobertar a licitação do São João, isso sim nos levantou suspeitas e estamos atentos e vamos investigar porque os custos do São João saltaram tanto, porque os preços estão abusivos, o porque a atual gestão optou por privatizar a festa que era para ser popular e do povo de Petrolina”, finalizou Valgueiro “O São João de Petrolina é o São João da extorsão”.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários