Receita Federal paga nesta segunda-feira o 1º lote do IR 2019

Por Larissa Quintino da Revista Veja

A Receita Federal paga nesta segunda-feira, 17, as restituições incluídas no primeiro lote do Imposto de Renda de 2019. De acordo com o Fisco, neste lote, 2,6 milhões de contribuintes foram contemplados e receberão cerca de 5,1 bilhões de reais. O dinheiro será depositado na conta informada pelo contribuinte quando enviou à declaração deste ano.

Nesse primeiro lote estão os contribuintes considerados prioritários pela Receita: idosos, deficientes físicos ou mentais, doentes graves e professores. O valor da restituição estará corrigido em 1,54%, relativo à taxa Selic de maio a junho de 2019. A restituição do IRPF ficará disponível no banco por um ano.

Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerer por meio da internet, mediante o formulário eletrônico “Pedido de pagamento de restituição”.

Os lotes de restituição são liberados mensalmente. Após as prioridades, o Fisco paga os contribuintes pela ordem de chegada. Há sete lotes de IR, que são liberados entre junho e dezembro, sempre na segunda quinzena.

Para verificar se a declaração foi liberada o contribuinte pode acessar o site da Receita ou ligar para o Receitafone 146.

É necessário ter em mãos o número do CPF e a data de nascimento do contribuinte. Caso tenha entrado no lote, a situação da declaração será “crédito enviado ao banco”.

Se a declaração aparecer como “Processada – em fila de restituição”, significa que a Receita não encontrou pendências na declaração e irá liberar o pagamento nos lotes seguintes, liberados mensalmente até dezembro na segunda quinzena de casa mês. Se a declaração estiver como “Processada”, significa que não há problemas no imposto, mas o contribuinte não tem dinheiro a receber.

Caso a mensagem exibida seja “com pendências”, é necessário que o contribuinte faça uma retificadora, pois está na malha fina. A retificadora pode ser feita pelo mesmo programa em que o contribuinte enviou a declaração neste ano.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários