"Amadorismo" de Bivar e Rueda vão obrigar Bolsonaro a sair do partido. DEM deve ser o escolhido

Por Ricardo Antunes

O "amadorismo" do deputado e presidente do PSL Luciano Bivar, junto com seu vice e "fiel escudeiro" Antonio de Rueda, está impressionando a família Bolsonaro, que já tomou uma decisão. Depois do segundo semestre, o presidente Bolsonaro deve mesmo seguir outro destino: O DEM, de Rodrigo Maia e ACM Neto.

Os dois são o que os americanos chamam de "self made man". De origem humilde, se tornaram milionários graças ao seu próprio talento. Bivar fez fortuna no ramo de seguros, e Rueda tem um dos maiores escritórios de advocacia do Brasil, com filiais nos principais estados do país. "Um é mais educado do que o outro, mas parecem não gostar de política e entender a dimensão onde chegaram", explica o professor e cientista político, Hugo de León.

A articulação para a saída está sendo feita pelo ministro Onix Lorenzoni, e até na Ceilândia - cidade satélite do DF - todo mundo já sabe. Irritado com o festival de denúncias contra o partido, no caso dos laranjas, descontente com a falta de pulso dos dois dirigentes e, "inseguro" com as confusões que toda semana acontecem entre os integrantes do próprio PSL, Bolsonaro quer preparar um "porto seguro" para a próxima eleição.

"Ele não será o dono do partido, mas no PSL ele também não é. E entre ficar nessa bagunça com o partido sendo chamado de puteiro, é melhor ficar com a estabilidade política e com gente profissional", disse uma fonte do Palácio ao blog. "Não é a toa que o DEM tem três ministros e o PSL nenhum", completou.

Antônio de Rueda vice-presidente nacional do PSL e Luciano Bivar presidente do PSL.

Com isso, o partido além de desidratar deve perder dezenas de parlamentares e vai ficar sem a vultuosa grana que tem no caixa por conta do fundo eleitoral. Nada menos que R$ 100 milhões.

Só para se ter uma ideia em 2014 o PSL tinha apenas 16 parlamentares e passou para 76 depois da eleição de 2018. Além, é claro, de ser o partido do Presidente da Repúbiica. Ironicamente é o único partido na história do Brasil que fez o presidente mais não tem um ministro sequer.

Nesse final de semana, uma matéria da revista IstoÉ falando as confusões da sigla aumentou ainda mais a disposição do presidente. O Blog traz ela para você, que tem um titulo sugestivo:

"Integrantes do PSL não se entendem e criam crises intermináveis pelo poder, com doses de baixaria". Leiam no próximo post.

Recentemente quem se desfilou do PSL foi o empresário Zuza Monteiro, irmão do presidente do TCU, José Múcio Monteiro. " Difícil conviver com amadores " disse ele.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários