Tite nega incômodo com pai de Neymar no vestiário da seleção: 'Dei um abraço. Parabenizei'

Com informações do O Globo

Já vivendo o cotidiano sem Neymar , o técnico Tite , da seleção brasileira , disse na coletiva deste sábado, no Beira-Rio, como reagiu à presença do pai do craque no vestiário do Mané Garrincha, durante o amistoso contra o Qatar.

Naquele momento, o camisa 10 ainda recebia atendimento após sofrer lesão no tornozelo direito, problema médico que gerou o corte da lista dos que disputarão a Copa América. Willian foi chamado no lugar.

- Dei um abraço no pai do Neymar e disse que ele tem de estar ao lado do filho. Eu o parabenizei. Ainda mais com essa série de problemas que ele teve. Se eu estou lá em cima, desço para dar apoio. Eu dei parabéns porque é uma relação humana, de pai e filho, de apoio, de um cara que vem sofrendo.

E não estou falando de problemas externos porque não compete a mim julgar, e não vou julgar. Se fosse o Matheus (Bachi, filho e auxiliar de Tite) eu iria descer. E se fosse o pai de qualquer outro eu abriria as duas portas - disse um enfático treinador da seleção.

O peso da perda de Neymar também foi outro assunto tratado diante dos jornalistas. Alívio, já que as questões pessoais estavam dominando o assunto? Tite diz que o sentimento é outro.

– Meu sentimento é de preocupação, que ele esteja bem e com saúde. Ele é top 3 do mundo. Para mim, só se compara ao Hazard, mas tem uma vantagem. Eles pensam na mesma grandeza, mas o Neymar executa mais rápido. É esse jogador que perdemos. Estou falando do atleta, não do resto que o envolve – afirmou.

Na coletiva pós-amistoso na capital federal, o coordenador Edu Gaspar disse que a presença de Neymar pai no ambiente interno foi autorizada. Na ocasião, o pai do jogador chegou antes mesmo que Edu no vestiário.

Neymar pai também acompanhou o jogador na ida ao hospital e no dia seguinte , quando ambos deixaram Brasília em um voo privado. O patriarca da família, inclusive, chegou a pegar a câmera de um fotógrafo que registrava o momento.

Bolsonaro

Em outra pergunta na coletiva do palco que receberá o amistoso deste domingo, contra Honduras, Tite foi questionado se sabia a respeito da possibilidade da visita do presidente Jair Bolsonaro ao hotel ou ao próprio vestiário da equipe. Bolsonaro acabou preferindo ir ao hospital onde Neymar foi submetido a exames.

- Eu estou atento à equipe jogar bem. Eu não sabia. Isso é um assunto diretivo, administrativo. O técnico tem que ver se o Neymar machucou, que gravidade tinha. Quando eu cheguei no hotel, não sabia da gravidade dele - disse o treinador, citando os momentos prévios ao corte do camisa 10.

Time definido

Sem Neymar, Tite optou por escalar David Neres no ataque da seleção contra Honduras. O jogador do Ajax terá a companhia de Gabriel Jesus, centralizado, e Richarlison, pela direita. Outra novidade é a volta de Thiago Silva, substituindo Miranda.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários