Inflação fica em 0,13% em maio; menor resultado para o mês desde 2006

Com informações do Site Poder360

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial do país, desacelerou e ficou em 0,13% em maio. É a menor variação para o mês desde 2006.

Em abril, havia subido 0,57%. Os dados foram divulgados nesta 6ª feira (7.jun.2019) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

NO ANO

No acumulado dos primeiros 5 meses do ano, o IPCA está em 2,22%. Já em 12 meses, alcançou 4,66%, abaixo dos 4,94% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

O índice está ligeiramente acima do centro da meta do governo para o ano. Em 2019, o Banco Central persegue o alvo de 4,25% para inflação, com tolerância de 1,5 ponto percentual para baixo (2,75%) ou para cima (5,75%).

Analistas de mercado consultados pelo BC no boletim Focus esperam que o índice fique em 4,03%.

Em 2018, o IPCA fechou em 3,75%, abaixo do centro da meta para o ano, que era de 4,5%. No ano anterior, ficou abaixo do piso da meta pela 1ª vez desde a criação do plano de metas, em 1999, durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

O QUE INFLUENCIOU

A desaceleração do mês foi influenciada principalmente pelo grupo Alimentação e bebidas, que registrou queda de 0,56% após subir 0,63% no mês anterior.

O recuo no grupo foi puxado por alimentação no domicílio, que caiu 0,89%. Destacam-se as quedas observadas em tomate (-15,08%), feijão-carioca (-13,04%) e frutas (-2,87%).

Já pelo lado das altas, o IBGE citou o impacto do leite longa vida (2,37%) e da cenoura (15,74%).

Pelo lado das altas, destacam o grupo Habitação (0,98%), influenciado por energia elétrica (2,18%). A taxa de água e esgoto subiu 0,82% e o gás de botijão 1,35%.

A 2ª maior variação positiva ficou por conta de Saúde e cuidados pessoais (0,59%). Os preços médios de remédios subiram 0,82%.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários