Opinião: Os recados de Rodrigo Maia foram aos pontos certos

Por Miriam Leitão colunista do O Globo

Rodrigo Maia passou recados nas entrevistas que concedeu ao GLOBO e ao “Estado de S. Paulo”. O presidente da Câmara tocou nos pontos certos. A reforma da Previdência é uma necessidade, mas o país precisa de uma agenda para enfrentar todos os problemas, e esse governo ainda não a formatou.

A reforma não vai resolver todos os problemas. Se ela passar, no dia seguinte o país ainda acordará com milhões de desempregados e crescimento baixo. Maia alerta também que se a reforma não passar o país entrará em colapso.

O presidente da Câmara conta que não houve pacto entre os poderes em torno de um texto, apresentado por Onyx Lorenzoni. “Zero de verdade nisso”, disse Maia. Ele lidera a Câmara, mas não é o dono do voto dos 513 deputados. Por outro lado, o judiciário não pode estar ao lado de medidas do governo que ele poderá julgar se são ou não constitucionais.

As falas de Maia reforçam a importância da negociação. Para governar e aprovar propostas, tem que se compor um arco de alianças. Conversar com os partidos não é corrupção. Um governo convence os parlamentares com propostas e ideias que podem ser boas. Qualquer político que governar o Brasil tem que ter clareza da necessidade de uma coalizão.

Outro recado importante foi sobre a Educação. Maia diz que a sociedade foi às ruas protestar pela postura do ministro, que tratou o contingenciamento como uma punição a determinadas universidades. Abraham Weintraub também apareceu em vídeo com um guarda-chuva, como se estivesse em um musical, criticando a bancada do Rio. Ele não é ator, lembrou Maia, e vai precisar da bancada do Rio para votar seus projetos. Deixou clara a posição equivocada do ministro.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários