Crise na Ancine: Diretor-presidente poderá ser afastado do cargo

Por Ricardo Antunes

Servidores da Ancine apresentaram denúncias contra a agência no Comitê de Ética da Presidência e na CGU, por conta da circulação de um dossiê com diversas acusações a servidores e diretores da agência.

A crise na Ancine com uma série de denúncias que vão desde a gestão do PC do B até a nomeação do atual presidente, ainda no Governo Temer, mostra o que todo mundo já sabia: a administração de Christian Oliveira é um fracasso retumbante.

Indicado pelo então ex-ministro de Cultura, Sergio Sá Leitão, a primeira coisa que fez foi "trair" seu "criador" que é o oposto dele em termos de gestão. Sá Leitão comanda, hoje, a secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo João Dória (SP) e goza de prestígio no setor mesmo com as "trapalhadas " do então "afilhado ".

O cineasta Cacá Diegues criticou a estrutura da Ancine e resumiu a obra do atual presidente da dessa forma:

"Este é o momento mais paradoxal da história do cinema no país. Ao mesmo tempo em que ele vive sua melhor fase, está ameaçado de acabar ".

Christian possui mandato até o dia 19 de outubro de 2021. Entretanto, após um ano e meio de gestão, com o seu desgaste à frente da Ancine, ele poderá ser afastado da função a qualquer momento.

O ministro Osmar Terra, já indicou o nome de Henrique Barros Ramos como novo diretor-presidente. Ele é auditor da CGU e não possui experiência na área. Parece que o fundo poço da Ancine não tem fundo. Não para de piorar.

Ministro Osmar Terra

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários