Opinião pública digital não perdoa e critica STF por ações de censura: a #ditatoga viraliza

Da Redação em Brasília com informações da Equipe de Análise Bites

Em três momentos, nos últimos 12 meses, o Supremo Tribunal Federal esteve no centro das atenções da opinião pública digital. Em outubro, quando o deputado Eduardo Bolsonaro disse que para fechar o STF "bastava um cabo e um soldado", a reação foi imediata com o surgimento de trincheiras virtuais em defesa da instituição. Nas 24 horas após a crise, a rede havia produzido 222 mil posts no Twitter sobre o tema.

Em dezembro, após o ministro Marco Aurélio determinar a liberação dos presos em segunda instância, a opinião se dividiu. Aliados do ex-presidente Lula elogiaram a medida e bolsonaristas criticaram. No intervalo semelhante à crise do presidente, o STF foi citado em 429 mil posts.

A diferença agora é a magnitude da propagação em função do consenso negativo em torno do STF. Até às 17h30 de hoje, segundo o Sistema Analítico BITES, a crise havia gerado 1.068.266 milhão de tweets. Esse volume equivale a 8% do total produzido no Twitter sobre o STF nos últimos 12 meses.

Como exemplo, as 24 horas após a presença de Paulo Guedes na CCJ renderam 398.481 tweets.

Entre as dez hashtags mais utilizadas em torno do assunto, todas são negativas. A líder com 243.919 menções é #ditatoga.

CONGRESSO NACIONAL

A decisão do STF uniu deputados e senadores de vários partidos em favor da revista e contra a censura. Nas últimas 24 horas, eles produziram 99 posts no Facebook, Twitter e Instagram contra o Supremo que conseguiram 240 mil compartilhamentos nas redes sociais.

Plenário Congresso Nacional
Plenário Congresso Nacional

TOFFOLI E MORAES

Há um certo equilíbrio nos ataques aos ministros do STF envolvidos na questão. Alexandre de Moraes apareceu em 157.942 tweets e Dias Toffoli em 191.910.

As últimas 24 horas no Twitter equivaleram a 7% (2,8 milhoes de posts) do total de referências a Toffoli nos últimos 12 meses. No caso de Moraes, a exposição é mais expressiva. O volume de posts das últimas 24 horas representou 36% do volume do último ano.

Presidente do STF, Dias Toffoli e ministro Alexandre de Moraes

REVISTA CRUSOÉ

Até a manhã de ontem, o grau médio de interesse de quem faz buscas no Google no Brasil (a escala vai de 0 a 100) em torno do epicentro da crise, a revista Crusoé, estava em 3,5. Hoje, às 15h30, era de 48,5. Cresceu 14 vezes na direção negativa para o Supremo.

A audiência do site da publicação estava em ascensão desde sexta-feira, 12 de abril, quando saiu o artigo sobre o ministro Dias Toffoli. Havia alcançado 133 mil visitas contra 41 mil do dia 10. É certo que crescerá exponencialmente nas próximas horas.

MÍDIA CLÁSSICA

Entre as 300 notícias mais compartilhadas nas últimas 24 horas na mídia clássica, dentro do universo de 41.450 artigos publicados, 63 tratam do STF com o total de 483 mil compartilhamentos no Facebook e Twitter.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários