Senado aprova destinar 70% de fundo à municípios para recuperar dependentes químicos

Da Redação do blog com informações do G1

Foi aprovado nesta terça-feira (26) pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, a proposta que destina pelo menos 70% dos recursos do Fundo Nacional Antidrogas (Funad) para projetos realizados pelos municípios. Os recursos da Funad são utilizados para o desenvolvimento de atividades de repressão, prevenção, tratamento e reinserção social de dependentes químicos.

O projeto foi aprovado em caráter terminativo. Isso significa que o texto pode seguir para a Câmara dos Deputados sem passar pelo plenário do Senado, caso nenhum senador apresente recurso.

O fundo é gerido pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Justiça e Segurança Pública e é constituído de dotações estabelecidas no orçamento da União, de doações, de recursos de qualquer bem apreendido em decorrência do tráfico de drogas ou utilizado em atividades ilícitas de produção e comercialização de entorpecentes.

Os valores são repassados para o Funad após decisão judicial ou administrativa, tomada em caráter definitivo. De acordo com a proposta aprovada pela CAE, o dinheiro do Funad será transferido aos municípios em duas parcelas, uma em janeiro e outra em julho de cada ano.

Segundo o texto, a transferência respeitará "na medida do possível" o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que consiste na forma como a União repassa verbas para as cidades, considerando, por exemplo, o número de habitantes. Atualmente, a legislação não define quanto do fundo deve ser dividido entre estados e municípios.

O Funad financia ainda campanhas educativas sobre uso de drogas e ações de fiscalização e repressão do tráfico dessas substâncias. A verba só pode ser destinada se o Plano de Atendimento Socioeducativo do estado ou do município for aprovado e estiver de acordo com a Política Nacional sobre Drogas.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

da Redação

Comentários