Armazéns do Cais José Estelita voltam a ser demolidos no Recife

Da Redação do blog com informações do G1

Em meio a disputas na Justiça e protestos, os armazéns do Cais José Estelita, na área Central do Recife, voltaram a ser demolidos nesta segunda-feira (25). A Prefeitura do Recife expediu um alvará autorizando a retomada das obras de construção de 13 torres no local. De acordo com o Consórcio Novo Recife, formado pelas empresas Moura Dubeux, Queiroz Galvão e GL, no momento está sendo feita uma preparação do terreno, com demolição das estrutura e retirada de entulhos. O entorno dos armazéns foi isolado por tapumes.Na semana passada, diante de rumores sobre a retomada da demolição, o movimento Ocupe Estelita, que ganhou repercussão nacional e internacional ao resistir ao projeto, voltou a se movimentar e convocou apoiadores a participarem da audiência pública sobre a revisão do Plano Diretor na Câmara do Recife. A ideia era conseguir aprovar mudanças mais rigorosas na lei que define, entre outras coisas, como se darão as construções urbanas na capital pernambucana.

O objetivo final para amenizar ou mesmo reverter a decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) que considerou lícita a aprovação do Projeto Novo Recife pelo Conselho de Desenvolvimento Urbano. O Ministério Público Federal recorreu, mas nenhuma nova sentença foi dada. Também há outra ação que pede a anulação do projeto por suposta inconstitucionalidade dos planos Diretor e Urbanístico, mas ela ainda não foi julgada.

Também na semana passada terminou o embargo imposto pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para analisar a importância histórica e cultural das estruturas.

A prefeitura nega irregularidade. "O alvará de demolição concedido estava suspenso pela gestão municipal desde 2014, com o objetivo de rediscutir o projeto. Após amplo debate com a sociedade, o novo projeto, com 65% da área para uso público, foi aprovado em 2015", apontou em nota.

da Redação

Comentários