'Quebrada' de Mano Brown concorda com o discurso do rapper e dizem que PT não escuta o povo

De O Globo

No Capão Redondo, bairro da Zona Sul de São Paulo onde Mano Brown cresceu e vive até hoje, o discurso do rapper sobre a dificuldade do PT em falar com o povo encontra apoio de moradores. Gente que vive na região, uma das mais pobres e violentas da capital paulista, mostra decepção com os políticos em geral e reclama que a periferia ficou esquecida no meio da disputa entre direita e esquerda.

Na última terça-feira, durante ato da campanha do candidato Fernando Haddad no Rio, Mano Brown criticou o PT ao dizer que "a "comunicação é a alma" e que se a campanha "não está conseguindo falar a língua do povo, vai perder mesmo". O rapper chegou a ser vaiado pela militância, mas, no dia seguinte, Haddad disse que concordava com ele.

O Globo visitou a "quebrada" de Brown na quinta-feira e conversou com moradores e comerciantes acostumados a encontrar com o rapper no dia-a-dia. Decepção foi a palavra usada pela dona de casa Zulmira Gonçalves, de 58 anos, ao falar sobre a disputa presidencial, enquanto almoçava em uma barraca de pastel em frente à academia que Brown frequenta no bairro.

- Anulei no primeiro (turno) e, agora, ainda não me decidi. Talvez anule de novo - afirmou Zulmira, que já votou no PT no passado.

As votações do PT na zona eleitoral do bairro nas últimas eleições traduzem em números a afirmação de Brown. O bairro, que já foi um reduto eleitoral petista, tem preferido adversários da sigla nos últimos quatro anos. Se na eleição presidencial de 2010, os eleitores do Capão deram ao PT uma vitória folgada (62% no segundo turno), quatro anos depois, Dilma Rousseff ficou em segundo lugar, com 49% dos votos válidos.

Na eleição municipal de 2016, veio uma derrota ainda maior com Haddad. Então candidato à reeleição na prefeitura, o petista teve 19% dos votos na região. Já no último dia 7, Bolsonaro ficou em primeiro lugar no bairro com 36% dos votos; Haddad, na sequência, teve 28%.

- Muitos clientes meus votavam no PT e hoje vão votar no Bolsonaro porque estão decepcionados. Por tudo que foi descoberto, eles não acreditam mais que o partido pode fazer algo por eles.

Segundo o IBGE, vivem no Capão cerca de 270 mil pessoas. Localizado na periferia sul de São Paulo, Capão Redondo é um dos bairros mais pobres da capital paulista. Dos 96 distritos da cidade, o Capão é o 79º no último ranking sobre Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) municipal, divulgado em 2016.

Embora tenham melhorado nas últimas décadas, os índices de violência ainda são dos piores de São Paulo. Desde 2013, o bairro oscila entre a 2ª e 5ª posição no ranking de bairros com mais homicídios. Em 2017, houve 386 mortes.

Comentários