Fusão entre Boeing e Embraer vai acontecer, diz Bolsonaro após reunião com sua equipe.

De O Globo

O governo Jair Bolsonaro informou nesta quinta-feira que não irá vetar o acordo entre as fabricantes de aeronaves norte-americana Boeing e a brasileira Embraer. Com isso, a operação entre a gigante dos Estados Unidos e a empresa brasileira poderá seguir adiante. 

A União tem participação com "golden share" com poder de veto sobre decisões estratégicas da Embraer. Integrantes do governo se reuniram no Palácio do Planalto para tratar do assunto. Para o presidente, a soberania e os interesses nacionais serão preservados com o acordo.

“Reunião com os Ministros da Defesa, da Ciência e Tecnologia, Relações Exteriores e Economia sobre as tratativas entre Embraer (privatizada desde 1994) e Boeing. Ficou claro que a soberania e os interesses da Nação estão preservados. A União não se opõe ao andamento do processo”, disse o presidente no Twitter.

O acordo foi selado no ano passado e aguardava apenas a decisão do governo brasileiro para seguir adiante. Ainda será preciso a autorização do conselho de administração, dos acionistas da Embraer e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O Palácio do Planalto garantiu que “serão mantidos os empregos atuais no Brasil”, será mantida a produção no país das aeronaves já desenvolvidas; e será "mantida a capacidade do corpo de engenheiros da Embraer".

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

Comentários