Câmara Municipal também fará debate sobre a Reforma da Previdência, diz vereador.

Da Redação do Blog com informações da Assesoria de Imprensa

A Reforma da Previdência e os seus reflexos será tema de uma audiência pública a ser realizada na Câmara do Recife nas próximas semanas. A convocação foi feita pelo ex-prefeito e vereador João da Costa (PT). Nessa semana, o presidente Jair Bolsonaro foi ao Congresso Nacional entregar a proposta que deve ser votada até o final desse primeiro semestre.

A expectativa é que a audiência pública ocorra no mês de março. Segundo João da Costa, a audiência servirá para que a população do Recife possa se manifestar em relação à proposta e coletar contribuições para amenizar os efeitos maléficos propostos pelo Governo Jair Bolsonaro.

As contribuições, serão encaminhadas aos 25 deputados federais e três senadores de Pernambuco.  "A ideia é que a bancada federal pernambucana possa utilizar as sugestões dos recifenses para propor emendas à matéria" disse o vereador, para quem,  o Governo Bolsonaro apresentou um “pacote de maldades” com o texto da Reforma da Previdência

. "Esse projeto tem um endereço certo: retirar dos pobres, dos trabalhadores, das pensionistas e demais brasileiros recursos necessários para garantir o pagamento da dívida pública e que os banqueiros não corram riscos, emprestando recursos ao governo federal", disse ele.

"Qual é o trabalhador que fica trabalhando 40 anos ininterruptos para poder contribuir com a Previdência Social?", questiona o petista, ressaltando as novas regras para ter acesso à aposentadoria, que são 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens.

João da Costa  destacou, ainda,  que os governos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff ofereceram à Nação propostas de Reforma da Previdência.

"A gente tem a percepção de que pra garantir a regularidade fiscal é fundamental que o Brasil cresça e gere empregos e rendas, para que a arrecadação das receitas possa crescer e garantir que, num País tão desigual, os trabalhadores tenham dignidade na velhice”, encerrou.

Ajude-nos a continuar nosso trabalho independente. Você jamais será livre, sem uma imprensa livre. Contribua.

Comentários