Ato em apoio ao promotor Marcellus Ugiette pede por "justiça" na "Operação Ponto Cego"

Por César Rosati

Na manhã desta sexta-feira (17), um grupo formado por aproximadamente 70 pessoas participaram de um ato em defesa do Promotor Marcellus Ugiette, suspeito de corrupção passiva na Operação Ponto Cego. Advogados, parentes e até mesmo desconhecidos deram uma volta no quarteirão ao redor do Ministério Público de Pernambuco, localizado na Avenida Visconde de Suassuna, no bairro de Santo Amaro.

Apitos, cartazes e gritos de ordem fizeram parte do ato, que começou por volta das 10h30. Indignados com o afastamento do Promotor, os manifestantes pediram por justiça e alegaram confiar incondicionalmente na integridade de Marcellus Ugiette.

“Para mim, ele é um dos promotores mais honestos do Ministério Público e chamar aquele homem de corrupto é uma ofensa que não tem perdão", afirmou a advogada criminalista Conceição Jansen.

O Advogado Criminalista Diego Ugiette, filho do Promotor, esteve presente no ato e falou um pouco sobre a história do seu pai no Ministério Público. Para Diego, a inocência será provada e tudo ficará esclarecido.

“Ele dedicou mais da metade da sua vida ao Ministério Público. O pessoal o considera uma pessoa que tem buscado os interesses da Justiça e do povo e quer esse reconhecimento”, declarou.

"Estamos aguardando a manifestação do Ministério Público. Se precisar se defender, vai ser feito. Independente da situação, temos a certeza de que ele é um homem inocente e esse mal entendido vai ser resolvido", destacou Diego.

De acordo com Paulo Giroldo, pai de presidiário e líder comunitário de Jardim Planalto, na Zona Oeste do Recife, o Promotor Marcellus Ugiette trata muito bem as famílias dos presos e sempre esteve ao lado das pessoas mais humildes.

“Tenho parentes que estão no regime prisional e tenho o dever de defender o promotor, que trata muito bem a todos os parentes de presos. Nada mais justo do que dar essa colaboração a ele, pois sempre esteve ao lado das pessoas mais humildes. Estamos para dar todo o apoio moral a ele", destacou Paulo, que também representa o Movimento “Todos Pelo Sancho”.

Procurada pelo blog, a assessoria do MPPE informou que o caso corre em segredo de justiça e que não fará comentários sobre a manifestação.

Comentários