A Caixa Econômica foi assaltada, diz Guedes na posse do novo presidente do Banco

Por G1

O ministro da Economia, Paulo Guedes , disse nesta segunda-feira, durante cerimônia de posse dos novos presidentes dos bancos públicos, que as funções das instituições financeiras foram desvirtuadas nos últimos anos. Sobre a Caixa Econômica Federal, chegou a dizer que o banco estatal foi vítima de “saques e assaltos”. Ele prometeu ainda abrir a chamada “caixa preta”, citada diversas vezes pelo presidente Jair Bolsonaro desde a campanha eleitoral.

— A Caixa Econômica Federal foi vítima de saques, fraudes e assaltos de recursos públicos. Como vai ficar óbvio à frente, quando essas caixas pretas começarem a ser examinadas — afirmou Guedes.

Guedes afirmou que os bancos públicos perderam por conta de uma "aliança perversa" e os novos presidente estavam assumindo para "fazer a coisa direito e acabar com a falcatrua."

A máquina de crédito do Estado sofreu desvirtuamento. Perderam-se os bancos públicos através de uma aliança perversa de piratas privados, democratas corruptos e algumas criaturas do pântano político. Esses presidentes vão assumir sabendo disso, fazer a coisa funcionar direito, da forma certa. Acho que o time comunga dessa filosofia, que é a filosofia do presidente, de fazer a coisa direito, de acabar com a falcatrua. E estamos aqui para enfrentar isso pelo povo brasileiro - completou o ministro da Economia em seu discurso.

Empossado como chefe da Caixa, Pedro Guimarães disse que seu objetivo envolverá três pilares: devolver o dinheiro aportado pelo Tesouro por meio das privatizações, aumentar a presença do banco em comunidades carentes e deixar o que chamou de legado, baixar os juros do microcrédito no Brasil no longo prazo. Só a Caixa deve devolver cerca de R$ 40 bilhões aos cofres públicos.

Comentários

Leia mais...

Mais em Geral