Política

Operação feita pela PF indica indícios de dinheiro do narcotráfico indo para políticos

Operação feita pela PF indica indícios de dinheiro do narcotráfico indo para políticos

15/05/2018 19:47

Segundo a PF, vínculo entre o narcotráfico e as investigações da Lava-Jato é o doleiro Carlos Alexandre Souza Rocha, conhecido como 'Ceará'. / Foto: Divulgação/PF

Do JC Online

O delegado da Polícia Federal Roberto Biasoli, responsável pela Operação Efeito Dominó que cumpriu 26 ordens judiciais em todo Brasil, na manhã desta terça-feira (15), falou sobre a possibilidade de que o dinheiro proveniente do narcotráfico tenha sido destinado a políticos e agentes públicos corruptos investigados pela Operação Lava-Jato.

“Há indícios de um vínculo muito claro do dinheiro do narcotráfico, em espécie, indo parar nas mãos de políticos”, afirmou o delegado. Entre as oito pessoas presas na manhã desta terça (15), estão dois doleiros que atuavam para o narcotraficante Luiz Carlos da Rocha, o ‘Cabeça Branca’. Segundo o UOL, a polícia federal o aponta ‘Cabeça Branca’ como o maior traficante de drogas do Brasil e um dos maiores do mundo. Ele foi preso em julho de 2017 e está na penitenciária federal de Mossoró, no RN.

NARCOTRÁFICO X LAVA-JATO

O vínculo entre o narcotráfico e as investigações da Lava-Jato é o doleiro Carlos Alexandre Souza Rocha, conhecido como ‘Ceará’. Ele firmou um acordo de colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR) que foi homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2015. Na delação, Ceará teria citado alguns políticos como peças de repasses deste dinheiro que teriam sido ordenados por empreiteiras investigadas pela Operação Lava-Jato.

A ação é um desdobramento da Operação Spectrum, que desarticulou uma estrutura estabelecida para o tráfico internacional de drogas em 2017. Cerca de 90 policiais cumprem as ordens judiciais, sendo 18 de busca e apreensão, cinco de prisão preventiva e três de prisão temporária nos estados do Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Paraíba, Mato Grosso do Sul e São Paulo, além do Distrito Federal.

NO NORDESTE

Em Pernambuco, três mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva foram cumpridos nos bairros de Boa Viagem e Imbiribeira, Zona Sul do Recife. Um dos que recebeu o mandado de prisão preventiva foi o doleiro Edmundo Gurgel Junior, que já foi alvo da PF na investigação da Operação Farol da Colina, no Caso Banestado.

Segundo a PF, o outro alvo do mandado de prisão preventiva estava tentando fugir para os Estados Unidos, onde tem família, mas a Polícia Internacional invalidou a passagem dele e o visto americano para impedir a sua entrada no país. Na Paraíba, outro empresário, alvo da operação, foi preso em João Pessoa, enquanto viajava a negócios, também nesta terça-feira (15).

Opine e entre na discussão