Corrupção

Escândalo com livros também chega ao Senado. Renan usa gráfica para defender sua biografia

Escândalo com livros também chega ao Senado. Renan usa gráfica para defender sua biografia

10/01/2019 15:26

Por Congresso em Foco

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) usou a gráfica do Senado para imprimir um livro com 489 páginas em que defende sua biografia e apresenta “reflexões que a grande mídia não vê ou prefere não ver”. A publicação foi distribuída nos gabinetes dos senadores e deputados e a parlamentares eleitos que assumirão em 1º de fevereiro. Embora negue publicamente que será candidato à presidência da Casa, cargo que já ocupou por três vezes, Renan articula nos bastidores a sua candidatura.

“Neste livro você irá se deparar, aqui e ali, com fatos, relatos e reflexões que a grande mídia não vê ou prefere não ver. Coloco-as à disposição e ao juízo do leitor. Espero que o ajude a compreender decisões e atitudes que tomei e as consequências delas advindas”, diz o senador na introdução de Democracia Digital. “Sirva-se do livro. Leia-o nas férias e bom proveito”, sugere na apresentação

Segundo a assessoria do senador, a impressão de um livro anual é espécie “tradição” de Renan. Nenhum atingiu, porém, essa quantidade de páginas. De acordo com o gabinete, a publicação retrata a “fase tuiteira” do senador.

Os senadores têm uma cota de uso da gráfica do Senado para publicações ligadas às suas atividades parlamentares. Procurado, o Senado não informou se permanece o valor de R$ 8,5 mil que vigorava em 2014, conforme registro em página antiga da Casa. Até o momento, já foram impressos 2 mil exemplares do livro. Renan diz que vai mandar imprimir outros 2 mil, em uma segunda edição, pois ficou insatisfeito com alguns pontos da obra. O emedebista alega que, por ter economizado nos gastos anteriormente, o crédito na gráfica do Senado dava direito a rodar até 4 mil exemplares.

O emedebista, que renunciou à presidência do Senado em 2007 em meio a um bombardeio de denúncias, filosofa ao dizer que pretende compartilhar com os colegas, veteranos e novatos, sua experiência em quatro décadas na política. “Nesta altura da vida, entendo que meu papel perante a história e à luz da experiência desses últimos 40 anos é ajudar a conectar o mundo abstrato e rarefeito do limite dos Poderes com a concretude da vida e mostrar o esforço permanente para fazer a minha parte”, escreve.

Opine e entre na discussão