Geral

Com extinção da Decasp, oposição quer federalizar casos de corrupção em PE

Com extinção da Decasp, oposição quer federalizar casos de corrupção em PE

07/11/2018 14:08

Nesta quarta-feita (7), o senador Armando Monteiro (PTB) afirmou que a extinção da Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), que combate a corrupção no Estado, é “muito estranha” e que o trâmite do projeto de lei “não ouviu a população pernambucana” e gerou várias discordâncias entre setores da Polícia Civil de Pernambuco.

Além de extinguir a Decasp, o projeto aprovado em poucas sessões pelo governo de Pernambuco, exclui também a Delegacia de Crimes contra a Propriedade Imaterial (Deprim).

Em entrevista à uma rádio, Armando disse que acha estranho o fato de que o projeto de lei tenha sido formulado logo após as eleições e depois de algumas investigações estarem em curso e alcançarem pessoas ligadas ao governo do Estado.

O senador pernambucano defendeu ainda que a delegada titular da Decasp, Patrícia Domingos (foto), deveria ser mantida a frente dos inquéritos que estão abertos.

“Nós gostaríamos que o governo pudesse explicar esse projeto, mas é fundamental que a delegada titular, que vinha desenvolvendo um trabalho extraordinário, permaneça à frente dos inquéritos abertos”, salientou o senador.

Senador defende permanência da delegada a frente dos inquéritos

“É fundamental que essa delegada continue vinculada a estes inquéritos e a essas investigações, porque, do contrário, ficará a ideia de que tudo isso se fez para afastar a titular da antiga Decasp, com um trabalho extraordinário, reconhecido por todos, que realizou mais de 15 operações, prendendo empresários e políticos”, ainda disse.

Na avaliação do senador do PTB, caso exista alguma suspeita sobre as mudanças e a tramitação dos inquéritos abertos, poderá haver federalização dos casos de corrupção em Pernambuco.

“Nós vamos ter que avaliar se não seria o caso de federalizar, de colocar a própria Polícia Federal para concluir essas investigações, porque fica a ideia de que o Governo do Estado possa não ter a isenção necessária para conduzir de alguma forma esse processo”, afirmou.

Comentários

Lavínia Marta Castilho - 7 de novembro de 2018

Realmente isso pegou muito mal para o governo e chamou atenção do governo federal acredito que é possível que seja analisado de forma mais detalhada pelo novo ministro Dr Sérgio Moro Pernambuco tá envergonhando seu povo em matéria de corrupção.

[Reply]

AILTON FERREIRA - 9 de novembro de 2018

Protocolei um pedido de intervenção federal no aparato da justiça de Pernambuco tjpe mppe DP e OAB PE desde novembro de 2017 na PGR devido a roubo de propriedade intelectual de projetos financiados por verbas públicas federais e estaduais via FACEPE Finep MCTi. Fui presta depoimento nessa Descap em 2016/7 com o delegado Martins e na PF com o delegado Emanuel. Até agora nada! O caso está na CIDH OEA Washington EUA aguardando retorno. Pernambuco vêm sendo conduzido por uma gangue quadrilha CONLUIO ENTRE Advogados defensores públicos promotores e procuradores e governador. O STJ pela Rp471 já deferiu o governo de Pernambuco por prevaricação e quadrilha e malversação de verbas públicas desde maio de 2014 e o mppe arquivou.

[Reply]

Opine e entre na discussão