Opinião

Após delação da JBS tudo é epílogo para Temer, diz Josias de Souza.

Após delação da JBS tudo é epílogo para Temer, diz Josias de Souza.

18/05/2017 03:57

Por Josias de Souza

 

Desde que Michel Temer passou a tratar com naturalidade a presença no governo de oito ministros enrolados na Lava Jato, a plateia esperava pelo sinal de que o fim, ou pelo menos o indício terminal que empurraria o governo para o bueiro, estivesse próximo. Aguardava-se o fato que levaria o país a exclamar: “Não é possível!” O alarme, finalmente, soou. A delação do grupo JBS será lembrada nos livros de história como um dos marcos da derrocada. De agora em diante, tudo é epílogo para o governo-tampão de Michel Temer. Leia mais…

Opinião

Nova operação da PF pode acelerar delação de Palocci, diz Vera Magalhães

Nova operação da PF pode acelerar delação de Palocci, diz Vera Magalhães

12/05/2017 09:37

A colunista Vera Magalhães traz informações exclusivas sobre os bastidores e consequências da Operaçã Bullish, deflagrada nesta sexta-feira (12), que apura empréstimos ilegais do BNDES e o favorecimento bilionário do banco estatal de fomento à empresa J&F, controladora da JBS.  Ela acredita que o novo escândalo pode “acelerar” a delação do ex-ministro de Lula e Dilma, Antonio Palocci. Confiram: Leia mais…

Opinião

Moro fisgou Lula ao perguntar sobre encontro com Renato Duque. Ele será condenado, diz Fernando Castilho

Moro fisgou Lula ao perguntar sobre encontro com Renato Duque. Ele será condenado, diz Fernando Castilho

11/05/2017 19:01

Um dos maiores jornalistas do país, o colunista de economia do JC, Fernando Castilho, afirma  que ao contrário do que muita gente pensa o problema de Lula não é o imbróglio do triplex como todo mundo pensava. E nos revela porque o ex-presidente  será condenado. Recomendo o texto:

 

Leia mais…

Opinião

“A morte do homem cordial”. O último artigo de Eduardo Portela que se foi hoje. Recomendo

“A morte do homem cordial”. O último artigo de Eduardo Portela que se foi hoje. Recomendo

02/05/2017 21:34


Eduardo Portella,

A aliança de modernismo e ufanismo alimentou, desde cedo, a ilusão do brasileiro como protótipo do homem cordial. Faz parte daquelas fantasias que impulsionaram a virada do século XX. A efusão da natureza, a força do sertanejo e a cordialidade inata são capítulos de uma história precipitadamente edificante. Foi surpreendida por algumas curvas do caminho, quando certos desvios inesperados, a urbanização avassaladora, a irrupção das massas e a privatização da esfera pública agravaram o quadro insólito. Leia mais…

Opinião

Gilmar Mendes solta José Dirceu, critica o MPF e declara  guerra aberta a Lava Jato

Gilmar Mendes solta José Dirceu, critica o MPF e declara guerra aberta a Lava Jato

02/05/2017 19:31

Por Ricardo Antunes

O placar de 2 x 3 – contra o relator Edson Fachin e a favor do habeas corpus que liberta  José Dirceu – já tinha sido antecipado por nosso blog e só revela que o direito processual cabe inúmeras interpretações. Não fosse assim não teria sentido os votos de Fachin e do decano Celso de Melo.  O resultado da segunda turma do STF mostra, na verdade,  o que ainda estava penas nos  bastidores: A guerra contra a Lava Jato apenas começou e coube a Gilmar Mendes deixar isso bem claro ao criticar os procuradores do MPF no seu voto. Outro ponto revelador: Se a tese de sua prisão fosse tão absurda ele não teria sido solto por apenas um voto. Leia mais…

Opinião

“Confronto de Belchior com o tropicalismo vinha eivado de amor”, lembra Caetano Veloso

“Confronto de Belchior com o tropicalismo vinha eivado de amor”, lembra Caetano Veloso

01/05/2017 12:41

Por Caetano Veloso (Especial para o Estadão)

A última vez que vi Belchior foi em São Paulo, pouco antes do seu famoso desaparecimento. Ele me procurou e conversamos bastante. Me trouxe de presente dois retratos de Drummond desenhados por ele, muito sugestivos e profundamente sentidos. Achei significativos a visita e os presentes. Nunca me esqueço de sua entrada no palco do teatro João Caetano, quando o vi pela primeira vez. Leia mais…

Opinião

O Brasil vai continuar sendo esse “depósito de pobres”, diz Clóvis Rossi

O Brasil vai continuar sendo esse “depósito de pobres”, diz Clóvis Rossi

28/04/2017 18:25

Um dos maiores jornalistas do Brasil, Clóvis Rossi, resumiu bem o desencanto com a esquerda de Lula e do PT depois de 13 anos de poder: “Fico, pois, na isolada situação de ser crítico do “status quo” e também das reformas que pretendem desmontá-lo. Os números respaldam minha posição. Em 2015, após 13 anos portanto de governos supostamente pró-pobres, o Brasil estava assim: entre os 10 países mais desiguais do planeta e com 73 milhões de pobres, pessoas com renda mensal de até meio salário mínimo

.

É mais de um terço da população. Não são números do governo Temer, mas do governo Dilma, conforme informado ao Índice de Desenvolvimento Humano da ONU, no caso da desigualdade, e conforme o sítio do Ministério de Desenvolvimento Social à época (2015, repito).

Ou, posto de outra forma, com greve, espontânea ou forçada, ou com as reformas de Temer, o Brasil vai continuar sendo essa lamentável mediocridade, esse depósito de pobres e essa obscena desigualdade.”

Leia mais…

Opinião

“Fim do foro, um alarme falso”, analisa Dora Kramer. Recomendo o texto.

“Fim do foro, um alarme falso”, analisa Dora Kramer. Recomendo o texto.

26/04/2017 21:22

Por Dora KramerNão foi a adesão a um “avanço civilizatório”, como disse o senador Álvaro Dias em sua interpretação otimista, o que motivou a Comissão de Constituição e Justiça do Senado a aprovar o projeto que propõe o fim do foro especial por prerrogativa de função para todas as autoridades à exceção dos chefes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Tampouco foi um surto de bom senso o que acometeu as mentes insanas de determinadas excelências, como supôs o senador Randolfe Rodrigues, relator do projeto.O que existe é um alarme falso decorrente da necessidade de senadores de darem uma “resposta” ao Supremo Tribunal Federal, cuja pauta do mês de maio inclui o exame da questão. Cientes da impossibilidade de extinguir o chamado foro privilegiado por ato judicial, pois é prerrogativa do Congresso mudar as regras legais, o tribunal discutirá uma mudança de caráter processual: a restrição do foro de última instância a autoridades cujos atos irregulares tenham sido cometidos durante o curso do mandato.

Os senadores da CCJ quiseram dar uma demonstração de que são capazes de se adiantar ao STF numa questão em que o tribunal se prepara para se pronunciar devido à omissão do Legislativo. Pois bem, disso não passará. No máximo e na hipótese mais otimista, os congressistas aceitarão a alteração que, segundo o ministro Luiz Fux, já conta com apoio da maioria do colegiado. Ou alguém acredita que entre acabar com o foro, o que levaria à primeira instância todos os processos hoje em curso por atos cometidos em épocas anteriores aos atuais mandatos, e apenas limitar sua amplitude, senadores e deputados ficariam com a primeira hipótese? De jeito nenhum.

Há um dito segundo o qual o político acompanha enterro, mas não pula junto com o cadáver no túmulo. De onde trata-se de otimismo à deriva imaginar que seja possível reunir maioria de parlamentares dispostos a cavar as próprias covas.

Leia mais…

Opinião

Nossa lágrima para o “matuto” de Itambé morto covardemente pela polícia.

Nossa lágrima para o “matuto” de Itambé morto covardemente pela polícia.

11/04/2017 13:41

Por Ricardo Antunes

O assassinato foi á queima roupa e a sangue frio. Era uma manhã do images (24) dia 17 de março. Quase um mês. No vídeo abaixo a legenda é clara. O capitão pergunta. ” Quem quer levar o primeiro tiro?” E manda o subordinado atirar. Edvaldo Alves faria 20  anos em maio e lutou 26 dias pela vida. Foi protestar contra a violência que assola o interior do estado  e, ironia do destino,  terminou sendo vítima dela. Leia mais…

Opinião

Delação de Palocci pode ser gota d’água para Lula, o “amigo” das planilhas da Odebrecht

Delação de Palocci pode ser gota d’água para Lula, o “amigo” das planilhas da Odebrecht

11/04/2017 10:28

Por Vera Magalhães

Enquanto o ministro Edson Fachin não torna públicas as delações de 78 colaboradores ligados à Odebrecht, depoimentos prestamos pelo herdeiro Marcelo e demais executivos em outras ações vão ajudando a montar o quebra-cabeças das revelações explosivas do acordo judicial com aquela que foi a maior empreiteira do país.Ao juiz Sergio Moro, Marcelo Odebrecht não só confirmou que Lula era o “Amigo” descrito nas planilhas e e-mails apreendidos pela Lava Jato como deu uma informação até aqui inédita: a do saque em espécie, cujo portador teria sido o ex-ministro Antonio Palocci. Leia mais…